25 de abril, aniversário da morte de Marinheiro Saldanha

0
157
Marinheiro-Saldanha
Marinheiro-Saldanha

Marinheiro Saldanha, assim chamado devido à sua pele de cor clara, nasceu no dia 12 de julho de 1892 em Brejo do Cruz (PB). Em 1928 chegou a Jardim de Piranhas, onde se firmou no comércio de tecidos, compra de algodão e de sementes de oiticica. Fazendeiro adiantado e operoso, projetou sua atuação no cenário econômico do Rio Grande do Norte e Paraíba. Além de se destacar na agricultura, “Marinheiro” situava-se também entre os maiores criadores de gado da região.

No ano de 1930 Marinheiro solidificou sua liderança política, pois gozava de grande prestígio junto ao então Interventor Federal no Estado, Mário Câmara. Suas firmes posições o fizeram ocupar vários cargos públicos, entre eles o de prefeito de Brejo do Cruz (PB), o de suplente do Senador Georgino Avelino, e o de prefeito de Jardim de Piranhas por duas vezes: de 13/03/1951 a 30/03/1953 e de 31/03/1958 a 25/04/1959. Na primeira, foi nomeado pelo Governador do Estado na época, Jerônimo Dix-Sept Rosado; na segunda, eleito democraticamente pelo povo.

À frente do Executivo Municipal, “Marinheiro” promoveu o desenvolvimento do município, entregando à população várias obras, dentre as quais destacam-se o Mercado Público e a energia elétrica a motor, logo no primeiro mandato que exerceu. Infelizmente, muito pouco pôde realizar em seu segundo mandato, pois só governou exatos um ano e 24 dias, quando faleceu no dia 25 de abril de 1959, na sua fazenda “Esperas”.

Um fato que exemplifica claramente sua liderança aconteceu na época da Revolução de 1930. Naqueles dias, a cidade foi visitada pelo Tenente Rangel que, de “chibata na mão”, aqui veio com a intenção de coagir os jardinenses. Em nossa defesa, lá estava “Marinheiro” pronunciando a frase que entrou para a história: “Tenente! Guarde sua chibata que este povo é meu!”.

Fatos escritos no livro Jardim de Piranhas ontem e hoje.

Deixe uma resposta