Com cadeias lotadas policia deixa de preder pessoas no RS

0
13

G1 – A superlotação de presos na Região Metropolitana de Porto Alegre vem comprometendo a segurança pública. Policiais civis deixam de prender suspeitos de crimes por falta de vagas nas cadeias. Na tarde desta quarta-feira (4), havia 178 presos mantidos em delegacias.

Somente na Delegacia de Canoas, 53 presos estavam no pátio, algemados uns aos outros. Policiais tentam manter separados os integrantes de facções diferentes. Alguns esperam transferência para um presídio ou para a carceragem há mais de 40 dias. Além disso, há suspeitos com tornozeleiras eletrônicas ou com curativos.

O diretor do Departamento de Polícia Metropolitana, Fábio Motta Lopes, observa que a situação faz com que menos prisões sejam realizadas. “A gente ouve relatos de colegas no sentido de que alguns mandados de prisão estão deixando de ser cumpridos, em razão da falta de vagas para estes presos”, diz o delegado.

Em São Leopoldo, a carceragem também está superlotada. Lá, 10 suspeitos estavam presos em um micro-ônibus, na tarde desta quarta-feira.

Deixe uma resposta