Deputado Federal Fábio Faria vai votar a favor do Impeachment

0

fabio

O deputado Federal Fábio Faria (PSD-RN) emitiu nota confirmando que votará a favor do Impeachment da Presidenta Dilma Rousseff. Confira a nota do deputado.

NOTA

Dirijo-me ao povo do meu Rio Grande do Norte e do Brasil para este comunicado a respeito do meu posicionamento quanto ao processo de instauração do impeachment da presidente da República Dilma Rousseff, a ser votado na Câmara Federal.

Minha posição é fruto de amplo diálogo dentro do meu partido, o PSD, respeitando a liderança do nosso presidente Gilberto Kassab; nos debates travados com nosso grupo político no RN; nas impressões trocadas com empresários e trabalhadores; nas inúmeras conversas com eleitores potiguares e com a minha família.

O Brasil vive hoje uma seríssima crise política e econômica em que o atual governo perdeu completamente a condição de produzir consensos e um mínimo de entendimentos efetivos em prol do desenvolvimento do País. O governo perdeu a capacidade de dialogar com a sociedade, com amplos setores produtivos, com a classe empresarial, e, por último, viu interditado o caminho do diálogo com a Câmara dos Deputados.

Neste domingo, portanto, votarei a favor do impeachment, em total sintonia com o meu partido, com a iniciativa da minha bancada, com o desejo das forças políticas e sociais do meu estado, com a expectativa dos meus eleitores e, principalmente, com a minha consciência.

Votarei pela esperança de ver um Brasil reconstruído, livre da paralisia imposta por uma pauta única provocada pela crise. Precisamos ultrapassar e vencer a pauta do impeachment, para que a economia reencontre os caminhos do crescimento e as ruas voltem a ser passeio público de uma única nação, porque não existem dois Brasis, pois somos apenas um povo, unificado na mistura de raças, credos e costumes.

Jovens que tentavam assaltar em Natal poderão processar quem lhes fizeram passar vergonha

0
wendel
Promotor Wendell Bethoven – Foto: Adriano Abreu/Tribuna do Norte

“O que foi feito com os dois adolescentes também é crime. Forçá-los a se jogar de uma ponte é tentativa de homicídio e, quando identificados, os autores dessa barbárie deverão ser processados”. A afirmação é do promotor de Justiça Wendell Beetoven Ribeiro Agra sobre os dois adolescentes que foram amarrados nus e forçados a pular da ponte de Igapó, na Zona Norte de Natal, após correrem por mais de 5 quilômetros. Os dois menores admitiram que pretendiam fazer assaltos nas proximidades na avenida Bernardo Vieira, na Zona Oeste de Natal, na noite desta segunda-feira (11).

De acordo com o promotor, os responsáveis por amarrar os jovens e obrigá-los a correr nus ainda podem responder por tortura. “Não vem nem ao caso se os adolescentes fizeram algo de errado ou não. O que se vê naqueles vídeos são dois rapazes sendo maltratados, torturados, sofrendo abusos físicos e psicológicos. Ainda que eles tenham feito algo de errado caberia à polícia e à justiça intervir”, afirmou.

Rio de Janeiro antecipa início da vacinação contra a gripe

0

h1n1

O início da vacinação contra a gripe foi antecipada no Rio para o dia 25 de abril. De acordo com a Secretaria de Estado de Saúde, as vacinas estarão disponíveis para gestantes e mulheres com até 45 dias após o parto; crianças com idade entre 6 meses e 5 anos, além de pacientes renais crônicos; os maiores de 60 anos, indígenas e profissionais de saúde.

O secretário Luiz Antônio Teixeira Jr. disse que a medida é uma forma preventiva de imunização dos grupos, que estão entre os prioritários, na campanha nacional do Ministério da Saúde, prevista para começar no dia 30 deste mês e que deve se estender até o dia 20 de maio.

A transmissão é pelo contato com pessoas infectadas, ao tossir, espirrar ou falar. Mas pode também ser transmitida por contato com mãos e com superfícies contaminadas por secreções respiratórias.

Para prevenir, é preciso manter as mãos limpas após tossir ou espirrar; utilizar lenço descartável para higiene nasal e cobrir nariz e boca quando espirrar ou tossir; evitar tocar mucosas de olhos, nariz e boca; não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, pratos, copos ou garrafas; manter os ambientes bem ventilados e evitar contato próximo a pessoas que apresentem sinais ou sintomas de gripe.

Para as crianças que ficam em creches, a recomendação é de que os brinquedos sejam higienizados com água e sabão e o uso de lenço descartável para limpeza das secreções nasais e orais; lenços ou fraldas de pano devem ser trocados diariamente.

Ministros do PMDB reassumirão mandato para votar contra impeachment

0
02-10 Ministro Celso Pansera
Celso Pansera

O ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Celso Pansera, disse nesta terça feira (12) que os ministros do PMDB que têm mandato de deputado vão se licenciar dos cargos e retornar à Câmara para votar, no plenário, contra a abertura do processo de impeachment da presidenta Dilma Rousseff. A votação está prevista para ocorrer no próximo domingo (17).

No final de março, o PMDB decidiu deixar a base de apoio do governo Dilma, mas seis ministros do partido permaneceram nos cargos. Três têm mandatos de deputado: além de Pansera, Marcelo Castro, da Saúde; e Mauro Lopes, da Secretaria de Aviação Civil.

“Ontem nós reunimos os ministros do PMDB e decidimos que vamos voltar para fazer a luta contra o impeachment na Câmara. Nós vamos encerrar o terceiro turno das eleições de 2014. E vamos ganhar de novo e espero que desta vez respeitem o resultado. Esse país precisa trabalhar, precisa que o deixem trabalhar, esse governo precisa governar, precisa que o deixem governar”, disse durante discurso em evento no Palácio do Planalto a presença de estudantes e entidades ligadas à educação.

Pansera disse que não há fato determinado para embasar o impeachment da presidenta Dilma. “Votei numa presidenta e num vice-presidente, se é para manter os programas e, se não tem fato determinado, por que o impeachment? Qual o sentido do impeachment se não é a disputa da política pela política?”, questionou.

Elídio comemora decisão do STF suspendendo devolução de repasses ao Fundeb

0
Elidio 2016
Elídio Queiroz

O prefeito Elídio Queiroz comemorou a decisão do STF que concedeu a suspensão da devolução de repasses ao Fundeb. O despacho do ministro Marco Aurélio Mello impediu a compensação de R$ 192.404.582,50 referentes ao Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação. Somente do município de Jardim de Piranhas o valor ultrapassa os R$600.000,00 (seiscentos mil reais).

De acordo com a Procuradoria Geral do Estado, a defesa apresentada alegou que o RN agiu de boa fé ao receber os repasses do Fundeb, bem como questionou os critérios utilizados na elaboração dos cálculos realizados pela União.

OAB cancela registro profissional do ex-ministro José Dirceu

0
AppleMark
AppleMark

A Primeira Câmara do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) decidiu nesta segunda-feira (11) cancelar o registro de advogado do ex-ministro José Dirceu, condenado no mensalão e investigado na Operação Lava Jato.

A decisão não é definitiva e cabe recurso ao Órgão Especial da Ordem. O ex-ministro terá 15 dias para apresentar recurso. Segundo a OAB, o cancelamento só se confirma depois que não houver mais possibilidade de apresentação de recursos.

O processo teve início na seccional de São Paulo. A Ordem informou que o conteúdo do processo não será divulgado porque debateu questão de idoneidade, requisito obrigatório para ser advogado, e, por isso, permanecerá em segredo.

Número de brasileiros desempregados é quase o mesmo da população de Portugal

0
O Brasil dos desempregados já tem quase a mesma população de Portugal: beira os 10 milhões de habitantes. Por hora, 282 brasileiros passam a fazer parte desse contingente, segundo cálculos do economista e blogueiro do Jornal O Estadão, Alexandre Cabral. A estimativa é de que, até o fim do ano, serão 12 milhões de desempregados. Vai ser cada vez mais difícil não conhecer alguém que esteja desempregado. E, para quem já está sem emprego, a dificuldade será encontrar portas onde bater.
 
A nova onda de retração no mercado de trabalho ficou evidente a partir do segundo semestre do ano passado, quando os setores de comércio e serviços – grandes empregadores de mão de obra – começaram a demitir com mais força. A piora se somou aos desligamentos na construção civil e na indústria, em crise há mais tempo.
Blog do Seridó

Dólar fecha abaixo de R$ 3,50 pela primeira vez em oito meses

0

dolarbaixacaindo

Com forte queda nesta segunda-feira (11), a moeda norte-americana fechou abaixo de R$ 3,50 pela primeira vez em oito meses. O dólar comercial caiu de R$ 0,102 (-2,83%) e encerrou o dia vendido a R$ 3,495. A cotação está no menor nível desde 21 de agosto do ano passado (R$ 3,46).

A moeda abriu em forte queda, mas consolidou-se abaixo de R$ 3,50 na última hora de negociação. A divisa acumula queda de 2,83% apenas em abril e de 11,48% em 2016. O euro também teve forte queda. A moeda europeia caiu R$ 0,108 e fechou o dia vendido a R$ 3,987, abaixo de R$ 4 pela primeira vez desde 25 de novembro do ano passado.

O dólar caiu mesmo com a forte atuação do Banco Central, que comprou dólares no mercado futuro para tentar segurar a queda. A autoridade monetária fez três leilões de swap cambial reverso ao longo do dia. No mês passado, esse tipo de operação voltou a ser feita, após três anos suspensa.

Wagner aposta em vitória no plenário e defende diálogo pós-impeachment

0

wagnerO ministro-chefe do Gabinete Pessoal da Presidência da República, Jaques Wagner, disse que o governo terá que fazer uma repactuação de forças políticas a partir de segunda-feira (18), após a votação do pedido de impeachment contra a presidenta Dilma Rousseff no plenário da Câmara dos Deputados. “A partir do dia 18, abre-se a oportunidade de repactuação real”, disse Wagner em entrevista ao programa Brasilianas.org.

Wagner aposta na vitória do governo na votação do parecer sobre a continuidade do impeachment no plenário da Câmara, que deve começar na sexta-feira (15) e se estender pelo fim de semana. 

Para que o impeachment seja aprovado no plenário da Câmara, e posteriormente encaminhado ao Senado, são necessários, no mínimo, 342 votos do total de 513 deputados. Ou seja, para barrar o andamento do processo, o governo precisa garantir 172 votos contra o impedimento.